http://www.cic.unb.br/~rezende/sd.htm > Urna-e: Entrevistas

Informatizção do Voto e a Academia no Brasil

Entrevista a Daniel Uribe, da IFES, e Eka Siradze, do NDI
Brasília, 12 de agosto de 2012
Pedro Antônio Dourado de Rezende *


Para Estudo sobre Experiências no Mundo com Votação Eletrônica

Prof. Pedro Rezende fala à International Foundation of Electoral Systems (IFES) e ao National Democratic Institute (NDI) da sua visão e experiência no tema. Entre as conclusões, a medida fiscalizatória do voto impresso -- suspensa pelo STF -- não é solução ideal, mas é a mais prática possível para mitigar o excesso de poderes acumulados no operador do sistema eleitoral, que lhe dá a prerrogativa de, caso queira, favorecer candidaturas de forma totalmente blindada. Se o eleitor quer distância, para poder apenas criticar a conduta dos políticos, continuará a fazer vista grossa e ouvidos moucos a esses vícios degradantes. Um "3º turno" oculto e sottogoverno se instalam, qual câncer, com a mídia corporativa no quarto poder excretando suas toxinas.

Audio da Entrevista (mp3)




Autor

* Pedro Antônio Dourado de Rezende é matemático, professor de Ciência da Computação na Universidade de Brasília (UnB), Coordenador do Programa de Extensão em Criptografia e Segurança Computacional da UnB, conselheiro do Instituto Brasileiro de Política e Direito de Informática, ex-conselheiro da Fundação Software Livre America Latina e ex-representante da sociedade civil no Comitê Gestor da Infra-estrutura de Chaves Públicas brasileira. (www.cic.unb.br/~rezende/sd.php)
Direitos autorais:

O autor publica este artigo sob licença Creative Commons (CC NC-ND-2.0): Livre para republicações com Atribuição, uso Não Comercial e Não Derivável. (outras republicações requerem autorização expressa) Texto da licença em: http://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/2.0/deed.pt